Entrevista com Jose Agote, Sushiman em Buenos Aires

Olá leitores,

 Ano novo, vida nova e mais novidades do nosso blog sobre culinária japonesa. Todos os meses vamos escrever um post sobre a vida de alguns sushimans que fazem a diferença.
Nosso primeiro convidado a ser entrevistado é um argentino que faz sucesso com seus sushis em Buenos Aires. O sushiman Jose Agote vai nos contar a sua vida e sua experiência na área.

Qual o seu nome e a sua naturalidade? Possui algum apelido pelo qual é conhecido onde trabalha?

Meu nome é Jose Agote, nasci em Buenos Aires, Argentina. Sou conhecido como Sushiman.

Onde o senhor reside atualmente? Há quanto tempo?
Resido em Buenos Aires há 23 anos.

Qual a sua função antes de se tornar sushiman?
Trabalhava no “trading” de grãos e cereais.

Há quanto tempo exerce essa função?
Desde aquela época até o ano 2006

Quando e o que despertou o seu interesse pela função de sushiman?
No ano 1979, já morando no Brasil, alguns clientes japoneses convidaram  para jantar num restaurante japonês em São Paulo (Suntory). Para começar, serviram algumas peças de sushi. Eu nunca tinha experimentado e adorei no momento.

Poucos dias depois, eu já estava visitando os sushibares do bairro da Liberdade em São Paulo aprendendo a comer sushi e perguntando por receitas de arroz, tipo de peixes, etc. Também eu comprei muitos livros de comida japonesa. Poucos anos depois eu já estava bastante experiente nesta culinária, e preparava jantares na minha casa para meus amigos. Eu chamava o jantar dos “sushi lovers”.

Anos mais tarde, deixei meu trabalho de “trader” de grãos, e comecei  a pensar na idéia de transformar meu passatempo (hobby) em uma atividade, o que aconteceu em maio de 2010.

Foi uma coisa muito reconfortante pois amo o que faço e recebo os melhores comentários sobre meu trabalho. Por enquanto não tenho restaurante. Atendo eventos, catering, jantares em casas de família e “delivery” o “take away”. Talvez num futuro próximo, e com alguma parceria acorde, esteja trabalhando com algum restaurante de bom nível.

A culinária oriental, em especial as consumidas de forma crua, como sushi e sashimi, é tão popular na Argentina quanto no Brasil?
No Brasil, o sushi é mais oriental, há uma comunidade e cultura japonesa muito importante.
Na argentina, o sushi é bastante popular e esta na moda , mais tem um toque occidental, queijo philadelphia e essas coisas que não são da culinária oriental.

 No Brasil, a culinária oriental tem se popularizado cada vez mais e atraído muitos seguidores, aumentado consequentemente a oferta de trabalho para sushiman. E na Argentina? O mercado de trabalho para esse profissional também está aquecido?
O consumo de sushi na Argentina tem crescido nos últimos anos.  As oportunidades de trabalho para o sushiman são boas.

No Brasil, diversos tipos de sushis são comercializados, dos mais exóticos como os de barbatana de tubarão aos recheados com frutas. Na Argentina essas variedades também recebem uma boa aceitação dos consumidores?
O principal insumo é o salmão rosado. Em dois anos e meio lembro ter preparado somente duas vezes sushi com peixe branco ou outros tipos.

Quais são suas pretensões futuras? Se imagina de alguma forma exercendo outra atividade?
Não imagino outra atividade que me dê tanto prazer quanto essa.

Se o senhor não fosse sushiman, qual atividade que gostaria de exercer?
Dirigir um restaurante com sushibar e pianobar.

Quais são os maiores mitos que circulam o universo da culinária oriental na Argentina?
Não há muito mito, o sushi tá na moda, e chic, mais ninguém sabe muito sobre a origem e a forma de degustar, etc. Aqui não temos uma colônia japonesa como no Brasil.

 

Hiro Ozono

Hiro C. Ozono é apaixonado por Culinária Japonesa e Empreendedorismo. Hoje ajuda empreendedores que pretendem abrir algo relacionado a culinária japonesa com suas dicas e opiniões em seu blog.

Website: http://www.cursosushi.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.